quarta-feira, dezembro 08, 2010

Deve-se oferecer presentes de Natal aos colegas de trabalho ou patrão?






Regra geral, não se deve oferecer um presente de Natal ao patrão. Isto porque este gesto pode ser compreendido como uma espécie de “ tentar cair nas suas boas graças”, ficando a sensação que está a tentar que ele fique na dívida para consigo. Nem sempre é assim, mas mais vale prevenir e evitar este tipo de constrangimento; até porque adicionalmente poderá criar mau ambiente com os colegas. Todavia, se oferecer um presente que tenha sido comprado em conjunto com os restantes colegas de trabalho, desde que seja um presente simbólico, e nada muito dispendioso, não há qualquer problema.

Relativamente à troca de presentes entre colegas de trabalho, o ideal é fazerem trocas de presentes cegas. Cada pessoa compra um presente simbólico até um valor determinado, todos são colocados dentro de um saco, e posteriormente cada pessoa que participou, retira um presente às cegas. Para além de ser um gesto mais simbólico do que outra coisa, é bom para o ambiente de trabalho, pois pode ser um momento bem divertido. Se isto não acontecer, não há problema algum em oferecer um presente de Natal aos colegas mais chegados. Porém, a entrega destes presentes deve ser discreta para que os outros não sintam que foram descriminados. Por vezes o ideal é fazê-lo fora do local do trabalho.

sexta-feira, novembro 12, 2010

6 formas de celebrar a família nas épocas festivas


As épocas festivas que incluem o Natal estão à porta. Ter consciência do outro e de como podemos ser melhores pessoas pode ser um bom lema para iniciar esta quadra. Nunca é demais lembrarmo-nos de quem amamos e do quanto estarmos gratos por os termos nas nossas vidas.

1.      Não se esqueça de ninguém. Se toda a família não puder estar presente no dia de Natal, não se esqueça de enviar um cartão a desejar boas-festas, e se o desejar, adicionalmente, uma pequena lembrança. Desta forma estará a demonstrar que não se esqueceu, e que também sentiu a falta dessa pessoa num dia em que toda a família deveria estar reunida.

 2.      Diga o quanto ama a sua família. No dia de Natal aproveite para discursar em frente a toda a sua família, dizendo o quanto os ama, e o quanto preza a sua presença neste dia e em todos os dias do ano que estão juntos. Esta é uma excelente altura para demonstrar a quem se ama que realmente gostamos dessa pessoa e que não temos vergonha ou timidez de o dizer.

3.      Promova a união familiar. Se não pode estar com alguns familiares neste dia, marque uma hora para uma chamada de conferência ou uma chamada de vídeo através do skype para ter toda a família reunida e a conversar ao mesmo tempo.

4.      Seja tolerante. Se tem alguma desavença com algum familiar esta é altura de o esquecer. Não prolongue problemas com a família, nem que pense ter toda a razão do mundo, especialmente se envolver uma pessoa idosa. Mais tarde poderá não ter a oportunidade de se redimir. Esta é uma altura para perdoar e esquecer.

5.      Fique feliz e grato. Esteja grato por ter uma família, esteja grato por tudo que a sua família tem de bom, nem que seja o amor que sentem uns pelos outros.

6.      Sorria! Torne em si o hábito de sorrir para quem mais ama, e de mostrar apreço desta forma - é um gesto simples, mas de grande impacto.

Feliz Natal!

sexta-feira, agosto 20, 2010

12 regras de etiqueta e boas maneiras para quando se visita alguém no hospital


Ter um familiar ou amigo no hospital pode ser muito perturbador emocionalmente, e por vezes não se pensa em certas coisas que se devem fazer, também para fazer com que essa pessoa sinta bem, e considerar os sentimentos dela. Muitas das vezes as pessoas internadas anseiam pelas visitas dos familiares e amigos, mas deve sempre ter em atenção diversas coisas.

1. Se não for um familiar próximo, então ligue com a família da pessoa ou para o hospital para saber se, e quando pode visitar a pessoa internada.

2. Se for possível, ligue com o paciente e pergunte se ele está disposto a receber visitas.

3. Planeie uma visita que não demore demasiado tempo, pois usualmente quem está doente não tem a disposição para fazer conversa, ou por vezes energia, para receber outra pessoa durante longos períodos de tempo.

4. Esteja atento ao facto da pessoa estar a ficar cansada com a sua visita. Se perceber que a pessoa está a querer dormir ou a ficar cansada, mesmo que esteja há pouco tempo com ela, despeça-se e visite-a noutro dia.

5. Usualmente as visitas nos hospitais públicos são limitadas a um certo número, por isso tente não demorar, ou tente saber se está outra pessoa à espera da sua saída para poder entrar.

6. Mantenha uma visita positiva, sendo uma pessoa positiva, cordial, simpática - não dê notícias perturbadoras. Anime sempre a pessoa, mesmo que ela seja negativa.

7. Leve consigo algo que saiba que pode entusiasmar a pessoa: uma revista sobre o tema favorito dela, uma moldura com a fotografia da família, um pequeno ramo de flores com vaso (nem todos os hospitais têm vasos ou permitem flores), um peluche, um jogo, um pequeno cesto de fruta (pergunte antes se pode levar fruta ou algo para a pessoa comer).

8. Se for feito algum tratamento ou servida alguma refeição durante a sua visita, deixe o paciente ficar a sós durante esse período, saia do quarto, e volte depois.

9. Evite colocar perfumes, ou transportar odores fortes que possam perturbar a pessoa, especialmente se ela estiver com náuseas.

10. Se o quarto de hospital for partilhado, cumprimente os restantes doentes e suas visitas quando chegar e quando sair; se achar oportuno deseje também as melhoras.

11. Se levar consigo alguma criança para visitar a pessoa internada, antecedentemente telefone para o hospital para saber se pode levar uma criança consigo durante a visita.

12. Se for permitida a visita de crianças, previamente, explique à criança que vai entrar num hospital onde não pode brincar e fazer barulho, e certifique-se que assim o é. Nunca permita que ela esteja sem supervisão. Também não a force a cumprimentar o paciente se esta não se sentir confortável com isso.

quarta-feira, maio 26, 2010

Criança vê, criança faz. Seja um exemplo positivo.

Não se pode deixar de ver este vídeo com um olhar de "é de facto verdade". O exemplo, quando é bom, é uma virtude. Nada como começar por quem mais absorve os exemplos, sejam eles bons ou maus: as crianças. Seja um exemplo para quem o rodeia, acredite, isso fará o mundo melhor.

sexta-feira, maio 07, 2010

Como cumprimentar alguém num restaurante


Todos já nos deparamos com amigos, conhecidos, colegas de trabalho em diversas circunstâncias e locais. Cada circunstância em cada local distinto pode pedir uma forma diferente de cumprimentar a outra pessoa. Como tudo na etiqueta e boas maneiras é uma questão de bom senso. Fica aqui uma ideia geral para saber como agir quando encontrar um conhecido ou conhecida num restaurante.

Uma das situações onde nunca se sabe bem como se deve cumprimentar alguém, é quando se encontra alguém conhecido a jantar num restaurante. Se está a chegar ao restaurante e encontra pessoas conhecidas a jantar, é natural que vá cumprimentá-las à mesa delas.

No caso de ser um homem e estar acompanhado com uma senhora, antes de ir cumprimentar alguém a outra mesa deve esperar que primeiro a senhora se sente à mesa, e só depois de avisar a pessoa com quem está que vai apenas cumprimentar um conhecido, é que deve ir cumprimentar a outra, ou outras pessoas. Em quaisquer que sejam as circunstâncias não deve nunca demorar-se muito a cumprimentar as outras pessoas, pois é de mau tom deixar outras pessoas à sua espera.

No caso de ser uma senhora a encontrar outra pessoa num restaurante, especialmente se essa pessoa for um senhor, é natural que este se levante para a cumprimentar. Neste caso diga a priori que não é necessário levantar-se e deseje um bom jantar a todos.

Quando cumprimentar outras pessoas que estão a jantar, não obrigue ninguém a levantar-se nem cumprimente com aperto de mão ou beijo quem esteja a jantar. Conforme a hora do dia, deseje uma boa noite, seja simpático, acene com a cabeça deseje uma ótima refeição a todas as pessoas e diga que tem outra(s) pessoa(s) à sua espera.

terça-feira, abril 27, 2010

Como distribuir os convidados à mesa num jantar formal


Algo que ainda permanece nos dias de hoje é a forma como se sentam rigorosamente os convidados num jantar formal. Num jantar formal deve respeitar-se a hierarquia dos convidados.
Na distribuição dos lugares à mesa existem dois tipos de distribuições possíveis: “à francesa” e “à inglesa”. Cada uma destas normas distingue-se pela distribuição dos convidados pela sua importância social, organizando-os de forma crescente ou decrescente.
Na distribuição dos convidados “à francesa” o lugar da presidência da mesa é o central, decrescendo a importância dos convidados do centro para as pontas (nas pontas não se sentam convidados).
Na distribuição dos convidados “à inglesa” a presidência é ocupada nas extremidades da mesa, e neste caso a importância dos lugares cresce do centro para as pontas.
A presidência da mesa é geralmente ocupada pelo casal anfitrião do jantar, que na realidade distribuirá os lugares como desejar: pelo grau de amizade, pelo parentesco, pela idade, etc…
Os homens alternam sempre com as senhoras, para tornar a mesa equilibrada e para dar uma certa harmonia ao ambiente.   
Num jantar mais formal, os lugares de mesa devem estar marcados com o nome de cada convidado escrito em marcadores de lugar colocados em frente a cada prato. Cada convidado deve ser escoltado por pessoas destinadas a esse fim, ou até pelos filhos mais velhos da casa.
Porém, nem sempre a presidência da mesa é dada aos anfitriões; estes podem preferir homenagear alguém como uma pessoa mais velha da família, um amigo, ou até um ministro ou presidente. Neste caso, o casal anfitrião ocupará os lugares à mesa mais importantes - logo a seguir aos lugares da presidência.
Os lugares de honra para as senhoras serão sempre o primeiro à direita do anfitrião, e o segundo à esquerda. Para os cavalheiros serão: o primeiro à direita e o segundo à esquerda da anfitriã.

sexta-feira, abril 16, 2010

Obrigações dos convidados de um casamento


Embora os deveres dos convidados de um casamento dependam da formalidade do casamento, existem deveres comuns a qualquer evento desta natureza.



• Pagar as suas próprias indumentárias, excluindo as flores da lapela (boutonnière ou corsage)

• Tratar do transporte para o local do casamento, a não ser que os noivos tratem eles disso

• Oferecer um presente ao casal de noivos

• Compreender os seus deveres e seguir as instruções dadas pelos noivos

• Chegar a horas a todos os eventos relacionados com o dia do casamento

• Presenciar com respeito a cerimónia do casamento

• Ajudar a noiva e noivo no que eles necessitarem

• Ajudar algum convidado mais idoso ou outra pessoa que necessite de alguma ajuda ou orientação

• Cuidar das crianças acompanhantes

• Estar disponível para ser fotografado(a)

• Ser educado(a), simpático(a) e cordial para com os restantes convidados do casamento

domingo, março 28, 2010

E se a outra pessoa molha o mesmo aperitivo mais que uma vez no molho comum?



Muitas vezes existem uma variedade de aperitivos e apenas uma taça de molho para molhar esses aperitivos.

Supostamente cada pessoa pegará num aperitivo, molhá-lo-á apenas uma vez na taça de molho e de seguida comerá todo o aperitivo. Se molhar o aperitivo no molho comum a mais pessoas mais do que uma vez, depois de o trincar, estará supostamente a partilhar os seus germes com todos os outros que molharem os seus aperitivos no mesmo molho. 
Se aconteceu isto com convidado em sua casa, certamente não vai querer que outros convidados partilhem os germes dessa pessoa. Se existir a confiança necessária para com a pessoa, discretamente diga-lhe para não fazer mais isso, dizendo algo como: “Certamente não percebeu, mas molhou o aperitivo mais que uma vez no molho, isso não boa ideia pois é uma forma de partilhar a sua saliva com outros. Vou levar o molho para a cozinha e substitui-lo.” De seguida pegue no molho leve-o para a cozinha, e o substitui por outro ou se esquece de o fazer :) 
Se for um dos convidados e se aperceber que outra pessoa está a molhar o aperitivo mais que uma vez no molho comum, não tem mal nenhum dizer à pessoa anfitriã que deve trocar o molho. Se conhecer bem a pessoa que o está a fazer, e tem a intimidade necessária para a chamar à atenção sem a ofender, então deve fazê-lo.   

sábado, março 27, 2010

O que acontece com os presentes oferecidos aos noivos se o casamento for cancelado

Todo o tipo de presentes, incluindo as ofertas em dinheiro, devem ser devolvidos aos seus ofertantes. As únicas exceções podem ser objetos monogramandos com as iniciais dos noivos, presentes que mesmo assim os convidados insistem para que algum dos noivos fique com eles, tal como um livro de casamento. É sempre importante usarem o discernimento, e certifiquem-se que ao devolverem os presentes, colocam uma nota manuscrita a agradecer a quem o ofereceu.


Por vezes devolver os presentes pessoalmente pode ser doloroso, portanto não há mal algum e é compreensível que os noivos os devolvam por correio com uma nota que pode dizer algo como: “Queridos João e Alberta, lamento ter de vos informar que o Pedro e eu cancelamos o casamento. Encontro-me a devolver a jarra que ofereceram com tanto carinho. Um grande abraço. Patrícia”.

Tradicionalmente a responsabilidade de devolver os presentes de um casamento cancelado era da noiva, mas nos dias que correrem é uma tarefa que bem pode ser repartida por ambos os noivos, com a ajuda de amigos e familiares.

sábado, março 13, 2010

Como convidar outras pessoas para jantar no restaurante e fazê-los perceber que cada um vai pagar a sua parte?



Saiba que pode ser um anfitrião/anfitriã e pedir aos convidados para pagarem. Decida se pretende apenas organizar um evento ou apenas juntar uns amigos para conviverem, onde cada um paga a sua parte respetiva.

O importante aqui é que comunique a sua intenção com algum cuidado. Por exemplo se disser: “ Juliana, tu e o Pedro gostariam de juntar-se a nós no restaurante X no próximo sábado à noite? A Ana e o Luís também vão jantar. Acho que poderia ser divertido juntarmo-nos todos. Diz-me se pretendes comparecer para que poder fazer a reserva.”Ao colocar as coisas desta forma estará a ser o coordenador social do evento em vez de ser o anfitrião/anfitriã.

Como anfitrião/anfitriã deveria enviar um convite escrito para uma ocasião mais formal, ou apenas dizer: “Eu e a Margarida vamos oferecer um jantar sábado à noite. Podem juntar-se a nós como nossos convidados? ” Desta forma está implícito que será a pessoa a pagar o jantar.

A mãe de um dos noivos pode ser madrinha de casamento?



Muitos noivos questionam-se quem “deve ” ser madrinha ou padrinho de casamento. O padrinho ou madrinha de casamento deve ser o melhor amigo/melhor amiga do noivo/noiva.
Se a mãe da noiva for a sua melhor amiga e a noiva gostar que a sua mãe seja sua madrinha no dia do seu casamento, porque não?

Porém, a mãe da noiva tem obrigações no seu papel de mãe da noiva, e o facto de ser madrinha de casamento ainda lhe dá mais responsabilidades. Uma noiva deve ter este facto em consideração se decidir convidar a sua mãe para madrinha do seu casamento.

De qualquer forma, a mãe já tem um grande papel no casamento da sua filha, mas se é a melhor amiga da noiva, porque não ser também a sua madrinha de casamento?